Erro médico, mas ali tem uma criança!!!





Vi este vídeo no facebook, estou colocando aqui, pois tem muita coisa que acho importante a gente trabalhar.
Acho mesmo que esta mãe tem que denunciar o médico por possível erro médico e cobrar na justiça, afinal médico não pode errar, ele está trabalhando, lidando, com seres humanos, com vidas. No caso dessa mãe, ela mesma fala da falta de respeito do profissional com ela, paciente, ele tenta suborna-la. Aqui, a gente pode pensar no texto que escrevi ontem, o sujeito é mercadoria, o médico errou, sabe que errou, para não pagar seu erro na justiça, ele tenta comprar a paciente. É um absurdo!

Agora, tem um outro lado nessa historia que me chamou a atenção. O médico errou, tem mesmo seu erro na justiça, para não errar com o outro, pois não é fácil ter um filho deficiente e não é simples ter uma deficiência. Sim, falo de carteirinha, conviver com uma deficiência é duro, difícil, tem horas que eu respiro 1, 2, 3, 10, 20, 50, 100 vezes para ter paciência e seguir em frente. Mas difícil, está bem longe do impossível, ter uma deficiência não é o fim do mundo. Falo por mim, tenho momentos muito felizes, realizações, sonhos e desejos, gosto da vida, só queria que a minha companheira, a paralisia cerebral, me deixasse um pouco livre!!!! Entretanto ela não me deixa quieta, então eu aprendi a aceitar, sem briga ou revolta.
Observo que essa mãe, ainda, não aceitou a deficiência da filha, deixa eu deixar uma coisa bem clara, não é fácil a aceitação, mas ela é fundamental para o bem-estar da família. Penso, será que essa busca por justiça, não é uma fuga, para não olhar a deficiência da filha, para não olhar, de fato para a filha?
Não posso falar, afirmar com apenas 3 minutos de entrevista, por isso só estou me perguntando, será? Será que ela já aceitou a deficiência da filha?
Ela nos 3 minutos de entrevista, não falou da filha como sujeito que vive, que está ali, a mãe, só, se referiu a carga que ela vai ter que carregar por causa de um médico!

Até mais,
bjo,    
Carol 



3 comentários:

Anônimo

Cara colega, também tenho um filho PC em consequência de erro médico. Não vejo essa mãe com problemas de aceitação, mas com revolta por ter um sonho interrompido e transformado em pesadelo. Ela está certa de procurar a justiça para tentar a cassação do direito de trabalhar desse médico, pois o tipo de erro indicado é pior que um bandido ao atirar com um revolver, pois a criança está condenada a ficar presa dentro do corpo pelo resto da vida sem ter feito algo de mal, sem ter o direito de se defender. Esse tipo de erro eu chamo de "pajelança", pois com todos os exames disponíveis para o correto procedimento, esse tipo de médico realiza os procedimentos no "eu acho que", "minha experiência diz que...". Já chega de impunidade para esses assassinos de avental branco que se auto intitulam de Doutores, quando na verdade são bandidos. Você é uma PC leve, que consegue ter vida própria, mesmo com dificuldades, mas essa criança não. Não esqueça que a mãe não é eterna. Pense nisso.

Carolina Câmara

Oi colega,
Acho mesmo que a mãe tem que denunciar o médico por possível erro médico e cobrar na justiça, afinal médico não pode errar, ele está trabalhando, lidando, com seres humanos, com vidas. É um absurdo! Não sou contra, jamais, a quem procura a justiça, tem que lutar pela a cassação do direito de trabalhar desses médicos, falei isso, claramente, naquele post, em nem momento julguei aquela mãe, até porque não estou aqui para julgar, estou aqui para trabalhar.
Meu objetivo no texto, foi trabalhar a aceitação da deficiência, algo que não é fácil para ninguém. Por isso que abordo muito esse tema tão complexo, mas fundamental para as famílias e para a própria pessoa com deficiência.
Um outro ponto que quero esclarecer, é que as pessoas olham o blog, o site, ficam conhecendo, um pouco, da minha vida e acham que a chata da minha paralisia cerebral é leve. Não, eu não tenho paralisia cerebral leve, está longe de ser, sou bem comprometida, dependo muito dos outros, mas também faço coisas que o pessoal podia jurar que seria impossível eu fazer, como, lavar louça, arrumar a cama, passar aspirador de pó, faço tudo isso, bem feito! Mas não amarro um cadarço de tênis, não faço um rabo de cavalo, não como sozinha.
bjss

Aluizio da Silva França Junior

Amigos ,erro médico é algo que causa uma revolta inimaginável,e se você não for uma pessoa equilibrada pode até cometer um atentado contra a vida de um ser descomprometido com o ser humano como este. Eu senti na pele ,fui internado para realizar uma cirurgia no joelho direito.( SABE O QUE FIZERAM?) operaram o joelho esquerdo que estava BOM e AMPUTARAM a minha perna direita! Agora vivo cheio de limitações e o médico com certeza ,deve andar de JET SKI nos fins de semana...

" As pessoas têm medo das mudanças. Eu tenho medo que as coisas nunca mudem". Chico Buarque
 
Carolina - Um sonho a mais não faz mal
Design por João Elias - Topo ↑