Por que eu não ando??? Por que tenho essa tal de paralisia cerebral???

        Vi uma reflexão agora no facebook, falando de uma pessoa que um filho com paralisia cerebral, ele questionou a mãe sobre o porquê ele não andava.
 Eu li a reflexão da Dani e adorei, comecei a pensar sobre o assunto e me deu vontade de escrever, compartilhar o meu pensamento, os meus sentimentos aqui, sobre essa pergunta que é complexa, tanto para pais de filhos com deficiência, como também para mim, pessoas com deficiência.
Por que eu não ando???

Para mim, não é bem essa pergunta, pois até que ando, bem ou mal, mas sim o porquê tenho toda essa dificuldade motora, por que tenho essa tal de paralisia cerebral???
 Posso responder essa questão de uma maneira racional; erro médico!!! O medico nesse dia foi completamente infeliz, sei lá onde ele estava com a cabeça neste dia. Que ferrou totalmente com a minha vida e com a vida dos meus pais.
 Mas ferrou mesmo?
Não sei, se o medico não tivesse esperado tanto, não tivesse engolido tanta mosca, eu talvez tivesse nascido sem a tal da paralisia cerebral, nossa que beleza, que delicia, como a nossa vida ia ser menos difícil!!
Mas será mesmo?
 Como eu posso saber se minha vida seria mais difícil ou mais fácil? O que eu seria, realmente, não tem como eu saber, porém uma coisa eu tenho certeza, eu não seria eu, Carolina Câmara.
Outro dia, estava conversando com a minha mãe sobre vida, morte, morrer e ir para paraíso, sem problemas, aquela beleza!! Falei, ai, quando eu morrer, quero nascer novamente. Eu amo a vida, viver, mas eu quero vim sem a chata da paralisia cerebral. Eu queria, quero, uma vida um pouquinho menos difícil, só isso!!! Gosto de desafios, obstáculos, conquistas, mas quando se tem uma deficiência, tudo fica mais complicado e tem horas que cansa, cansa é muito.
 Por que eu não ando??? Por que tenho essa tal de paralisia cerebral???
Como já falei, pode ter sido por erro medico, pode ter sido também por azar, porque tinha que ser, porque era minha missão (e missa difícil!), porque Deus quis, por uma fatalidade ou sei lá o que. Já me questionei muito, mas ao longo da vida, percebo que isso só é e sempre vai ser um questionamento. Não vai ser uma  resposta, que vá fazer com que eu viva melhor ou pior.
O que vai mudar para mim, é como eu enxergo, encaro a minha deficiência e como vou viver com ela. Então o porquê, a indignação, já foi, agora eu me pergunto, como? Como vai ser? Como vou fazer?
        Sei que muitos pais de criança com deficiência acompanham o blog, e ai digo, elas em algum momento vão fazer a tal pergunta, por que eu não ando??? Responda a questão sem medo, sem vitaminizar a criança, seja simples na resposta, sem rodeios. Mostre que ela não anda, mas ela capaz de muita coisa, que não andar, realmente não é fácil, no entanto nao tudo na vida!!!
E como a Dani disse: “Eu sempre reforço a ideia de que uns não andam, outros não falam, outros não escrevem outros, não jogam basquete, outros não andam a cavalo.... Não que uma coisa compense a falta da outra, mas somos todos imperfeitos e únicos”.


Até mais,
bjo,    

Carol

2 comentários:

Lulu - Maria Luiza

Querida tenho orgulho e sempre tive de ser sua prima e vc fazer parte da minha famila!!!!Te amo vc é demais!!!Beijos

Lulu - Maria Luiza

Querida tenho orgulho e sempre tive de ser sua prima e vc fazer parte da minha famila!!!!Te amo vc é demais!!!Beijos

" As pessoas têm medo das mudanças. Eu tenho medo que as coisas nunca mudem". Chico Buarque
 
Carolina - Um sonho a mais não faz mal
Design por João Elias - Topo ↑