“É só deficiente”!


Quando a criança convive com uma pessoa tem alguma deficiência e que a deficiência no ambiente, na família, não é vista como algo complexo, onde ela não é o mais importante. A criança vai olhar para deficiência como algo natural, sendo simplesmente uma característica.  Tenho vários exemplos disso, não é historinha, aqui em casa, é possível perceber isso, a Mari Hart acabou de colocar um texto no seu blog falando, vale muito conferir.

Não são apenas os outros que precisam saber que a deficiência não está em primeiro lugar, mas as próprias pessoas com deficiência têm que enxergar a deficiência como ela merece. Estou falando que a pessoa com deficiência e a família, não precisam dar toda aquela ênfase, de certo modo, fazer aquele drama mexicano e sem sensacionalismo.
Quando digo sensacionalismo, estou me referindo a mídia, aos programas de televisão que fazem um “uso” da deficiência, com um ar negativo. Escrevendo isso, me veio a cabeça o Teleton, que foi ao ar esse final de semana, já vou dizendo é muito legal o trabalho deles, a AACD está crescendo, a estrutura cada vez melhor, acredito que os profissionais sejam excelentes. Este ano arrecadaram mais de 30 milhões, um belo dinheiro, para investirem mais, atender mais pessoas, sem perder a qualidade, claro.
Voltando ao programa Teleton, há muitos anos, eu não vejo mais, alias nunca fui muito de assistir, pois me faz mal, eu chegava a ficar com pena de mim mesma. Não sei, no final de semana, li vários comentários no facebook, elogiando o programa, falando motiva, que as historias são lindas, eu só vejo sensacionalismo, o pessoal “usando” a deficiência. Será que o problema sou eu?
 Acho que o Teleton e outros programas que falam de pessoas com deficiência, poderiam mostrar a deficiência com outros olhos, com os olhos do Pedro, filho da Mari, segundo ele, seu irmão; “é só deficiente”! Não tem muito mistério..



Até mais,
bjo,    
Carol 

6 comentários:

Mari Hart

Carol! Compartilho do mesmo sentimento que vc, e não vejo Teleton! Acredita que as pessoas me "cobram" isso!? Tb não desmereço o belo trabalho, mas lido com a deficiência de outra forma, então não vou contra minha natureza dando ibope. Mas essa sou apenas eu.


Adorei o post querida! Acrescento que muitos usam a deficiência como bengala, para viver de "ó céus, ó vida", qdo na verdade não há limites para a superacão!

Grande beijo!

Carolina Câmara

Oi Mari,
Concordo 100% com você.. Nao sei porque também sou cobrada para assistir, não sei porque!!!

bjss

Maria Dulce de Lima

Não assisto há muito tempo.Concordo c vc que há muita exploração.O serviço da AACD é muito bom assim como a Rede Sarah de Hospitais desenvolve um brilhante trabalho,GRATUITAMENTE e, não é um hospital do governo é uma entidade filantrópica e suas ações só são mostradas qdo um personagem da mídia faz sua reabilitação lá.
bjs

Carolina Câmara

É Maria, a gente só ouve falar da Rede Sarah quando um famoso vai.
Olha nunca fui na Rede Sarah, mas só escuto falarem bem de lá.

E, realmente, o Teleton, expõe as pessoas sem necessidade!!

bjss

Tatiana

Apesar de não concordar totalmente, respeito a opinião de vocês sobre o Teleton. Mas só gostaria de fazer uma observação, a Rede Sarah não é filantrópica, ela recebe verba federal, e exatamente por isso não precisa de campanhas para arrecadar fundos. Não é a toa que um terapeuta lá recebe salário de aproximadamente 10 mil reais (muitíssimo acima do mercado), e é contratado via concurso público. Tb defendo a causa da deficiência, sou fisioterapeuta, e vou acompanhar seu blog! :)

Carolina Câmara

Tatiana, seja bem-vinda, espero que continue participando do blog..

Eu sei que muita gente não concordar comigo em relação ao Teleton, tem gente que gosta, também respeito, claro!

Quanto Rede Sarah, só sei que faz um bom trabalho, como AACD também faz..

Eu só critico o programa de como ele é feito!

bjss

" As pessoas têm medo das mudanças. Eu tenho medo que as coisas nunca mudem". Chico Buarque
 
Carolina - Um sonho a mais não faz mal
Design por João Elias - Topo ↑