Patins e a pessoa com deficiência – como faz????????????????

No inicio da minha adolescência, acho que um pouco antes, vou colocar aqui a pré-adolescência, a moda era patins. Eu queria andar também claro, sentir a sensação, afinal todo mundo falava de patins. Cada um tinha um, eles eram coloridos, lindos, eu queria um, como não?

Enchi o saco dos meus pais, a chatice foi tanta, que até a minha fisio entrou na história. Eu era terrível, melhorei um pouco!!!!!!!!!!!!!!!
Voltando para minha fisio, ela achou um patins na casa dela e trouxe para experimentar. Nossa que legal, colocamos, fiquei em pé, conseguir, um ponto para gente. Dei o primeiro passo, com ela me segurando sempre, deu certoooo!!!!!!!!!!!!!!!!! Fiquei toda boba, sai da clinica doida para comprar o meu patins!!!!!!!
 Detalhe, a fisio adorou a ideia do patins, ela percebeu que era um ótimo treino para o equilíbrio, então o patins começo fazer parte das sessões!!!!!!!!!!
Vamos as dicas:
·         Começamos andando no carpete, que tem atrito e depois fomos para chão mais liso. Deu certo!!!!!

·         Próxima dica, tem que procurar o melhor jeito de segurar, apoiar a pessoa. Eu conseguia andar, porque me sentia firme e solta ao mesmo tempo!!!!!!!!!!!!!!
·         Terceira dica, eu apenas conseguir andar com dois modelos de patins, o patins de quatro rodas, o da foto, ou com o de duas rodas. O patins  In-Line não deu certo, tentamos, mas foi impossível!!!!!!!!!!!





Agora, achei no facebook outro jeito para as crianças, jovens com deficiência andarem de patins. A ideia é do Marcio Alexandre, a foto também é dele, ele autorizou colocar aqui. Muito boa a ideia, é uma ótima dica!!!!!!! Amei!!!!!!!!!




 Espero que aproveitem!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Marcio Alexandre, obrigada pela participação!!!!!!!!!!!!!!


Até mais,
bjo,    


Carol

1 comentários:

Paula

Carol, no caso vc quando começou a andar de patins ja andava?

" As pessoas têm medo das mudanças. Eu tenho medo que as coisas nunca mudem". Chico Buarque
 
Carolina - Um sonho a mais não faz mal
Design por João Elias - Topo ↑