Buscando respostas!!!


Eu falei já do lançamento do livro do Diogo Mainardi, A Queda - As Memórias de um Pai em 424 Passos. No dia em que falei, eu não tinha lido, comprei no mesmo dia, adoro um bom livro, posso garantir é uma excelente leitura!

Hoje não vou falar especificamente do livro, mas sim do texto que a Mari Hart fez ontem em seu blog, o livro despertou nela uma “vontade” de ir buscar o que, realmente, aconteceu no dia em que ela teve seus filhos, gêmeos. É texto belíssimo, super aberto, sincero, onde ela expõe suas razoes, angustias, medos, enfim é um post reflexivo e me fez pensar, pensar, estou até agora pensando. Quando li o livro do Mainardi, me veio varias coisas na cabeça, falo delas no dia em que vou escrever sobre o livro, no entanto não me trouxe a ideia de ir em busca do que aconteceu comigo no dia em que nasci. Não sei, se é porque aceitei as explicações que meus pais me dão, ou se é porque eles não foram atrás também, se é por medo, fuga, proteção ou por qualquer outra questão. Bom, não sei a resposta.
Claro, queria entender o porquê que o medico que sabia que minha mãe não tinha dilatação, pois esse profissional já tinha feito uma cessaria na minha mãe, insistiu no parto normal. Houve um erro ai, né?
Mas não tem como saber o porquê que o medico insistiu, demorou para fazer a cessaria, porque alguns anos depois do meu nascimento, eu estava na praia e minha mãe apontou, olha Carol, foi aquele homem que tirou você da minha barriga. Eu, delicadamente, falei, mãe quero que ele morra! Um mês depois o medico morreu. Eita boca!!!
 Eu era criança, porem é possível perceber a minha raiva, nessa frase, eu já sabia que a culpa era dele, eu o culpava ou ainda culpo, sei lá.
Acho é um pagina virada para mim, pois, talvez, as repostas que ia ter, não iriam acrescentar em nada a minha  vida. Procuro sim outras respostas de acontecimentos da minha vida que vão me dá segurança para meus planos no futuro.  
Temos que procurar as repostas que a gente senti falta, mesmo que elas tragam dor, sofrimento!

Até mais,
bjo,    
Carol 

2 comentários:

Mari Hart

Poxa Carol... impossível não mexer com nossos sentimentos não é mesmo. Para o bem ou para o mal. Mas o importante, é que estamos vivas, sentindo!

Bjo enorme querida que adoro! =)

Carolina Câmara

Mari, concordo com você, mexi com tudo!! Antes de escreve esse texto, fiquei me "analisando", será que é difícil olhar, procurar a causa, respostas, então viajei,e pensei; vou atrás de respostas, por incrível que pereça, eu percebi a dificuldade, senti uma dorzinha!

Beijossssss

" As pessoas têm medo das mudanças. Eu tenho medo que as coisas nunca mudem". Chico Buarque
 
Carolina - Um sonho a mais não faz mal
Design por João Elias - Topo ↑