Racismo, por parte de quem?


Estagiária denuncia escola por crime de racismo. Em seu primeiro dia de trabalho como assistente de marketing, a diretora do colégio reclamou de uma flor presa em seu cabelo e pediu para deixá-los presos. Dias depois, a diretora a teria chamado novamente para reclamar do cabelo.
 Segundo o colégio, é regra para todos que trabalham na escola é prender o cabelo e usar uniforme. Eu vi essa matéria no jornal e fui atrás dela na internet, para saber mais detalhes.
 No primeiro momento e notei um certo preconceito por parte da estagiária com ela própria, se o colégio diz que é regra para todos prender o cabelo. A estagiária então usou o racismo a favor dela, pois se a diretora tivesse falado as mesmas regras para uma estagiária de cabelo liso, não ia ter tido o crime de racismo.
Têm pessoas que acreditam que sempre são vitimas de preconceito. Tudo que acontece com esses sujeitos o culpado é o famoso preconceito, ou seja, eles se escondem atrás do preconceito. Assim fica tudo mais fácil, porque eles não têm falhas, erros e defeitos,  pelo  contrário, a pessoa é perfeita, quem não é, é o outro, esse sim é que tem  falhas, erros. Por isso  o preconceituoso é quem tem que mudar e aceitar a vitima! Acho isso pior do que o preconceito propriamente dito, pois é sinal que a própria pessoa a se aceita!
Depois que li mais sobre a matéria, fiquei em duvida se foi racismo da estagiária ou da diretora, pois parece que houve mais ofensas e comentários da diretora em relação à estagiária.
Mas gostaria de deixar aqui essa reflexão.

Até mais,
bjo,
Carol 

2 comentários:

Tia da creche

É esse tema é muito complexo e a situação tbm...mais que o racismo existe isto ninguém pode negar...adorei seu blog parabéns ...beijinhusss

Carolina Câmara

Oi Tia da creche, seja bem-vinda!
O racismo existe mesmo, se a diretora foi racista, ela tem que pagar pelo erro!

Que bom que gostou do blog!

bjss

" As pessoas têm medo das mudanças. Eu tenho medo que as coisas nunca mudem". Chico Buarque
 
Carolina - Um sonho a mais não faz mal
Design por João Elias - Topo ↑