Não é possível viver apenas para o outro!

É comum que quando nasce um filho, a mãe e ele construam um vínculo. Isso é fundamental para o desenvolvimento do aparelho psíquico da criança. O bebê e a mãe durante um período ficam em simbiose, isto é os dois formam um só, não sabendo nesse momento quem é quem. Mas isso passa conforme o bebê  vai crescendo, se desenvolvendo.
No entanto têm situações em que a separação de mãe e filho, demoram mais para acontecer ou simplesmente não acontece. Isso ocorrer muito quando o filho é portador de necessidade especial, por vários motivos, como depender mais da mãe. A mãe acredita que não pode se separar, nem 1 segundo sequer, do filho, pois ele precisa dela. Mas aqui nesse caso, já é a mãe que necessita mais do filho, do que ele dela.
Esta situação, não é saudável nem para a mãe e nem para o filho, porque ambos precisam da sua vida particular. São duas vidas, cada qual tem as suas necessidades, não sendo assim possível que um abdique da sua vida para viver a vida do outro!

Até mais,
bjo,
Carol 

2 comentários:

♥ κєκєl ♥

Concordo com vc Carol. Namorei um rapaz surdo e nosso romance terminou exatamente por conta de sua mãe. Como eu poderia estar na história se Marcio já era casado com a propria mãe? Ela não dava espaço para termos a nossa vida de casal. Caí fora.

Beijos

Carolina Câmara

Ninguém quer namorar com a sogra! Mas quando mãe pega a vida do filho para ela mesma, é preciso que o filho tenha estrutura para pega as rédeas da sua vida. Afinal cada um tem a sua vida!
bjs

" As pessoas têm medo das mudanças. Eu tenho medo que as coisas nunca mudem". Chico Buarque
 
Carolina - Um sonho a mais não faz mal
Design por João Elias - Topo ↑